sábado, 19 de julho de 2008

Motivação - 92

Ardea alba

Não sou homem a andar sorrindo
Sou homem a pensar sozinho
A passar sorrindo
Hipócrita
Apesar de

De vez em quando
Eu me esqueço
Adormeço
Feito anjo
Estúpido
Sorrindo

Hipócrita
Sorrindo
Sorrindo ou não
Faz parte de ti
Faz parte mim?

In Janelas abertas - ed. 2007

9 comentários:

ciclo365dias disse...

esses são coisas pequenas, não obstante um rosto duplo surpreende e isso é como vida e as pessoas são

siento muito, eu não sou suficientemente bom em português

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

O homem que adormece só e sorri
Pode até estúpido ser
Na pureza a criança ri a dormir
Até ser estúpida ao crescer
---------------------
Tu me inspiraste nessa manhã de domingo, ou melhor, tua poesia...
UM BOM DOMINGO, AMIGO!

Marquez disse...

Olá, meu caro Simão, vc está de férias? não te encontrei no escritório. Você tem muita razão, somos mesmo hipócritas que vivemos sorrindo e assistindo a banda passar. Gostei muito dos versinhos, São antigos?

gde abraço,
A. Marquez

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Bonito poema, Simão!
Fiz nova postagem. É sobre um filme que todo mundo já deve ter visto, mas acho que é a minha melhor resenha.
Apareça aqui:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo,
Renata

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Não sou homem a andar sozinho...
Bela poesia, suavidade e fragilidade aqui presentes são coisas que só os poetas sabem. misturando letras, fazendo sonhos; estes poetas...
adorei, poesias que me fazem bem a alma eu agradeço.
Fiz postagem nova, se tiveres um tempo apareça por lá.Um grande abraço meu amigo.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Amigo, não estou nada bem acordei às 4 da manhã e não dormi mais. Então, fiz novo post, a pedido de uma amiga do Blog. Vc já deve ter visto o filme, que é lindo.
Apareça aqui:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo,
Renata

mundo azul disse...

...um homem que não sorri...Isso não é nada bom! Me fez lembrar "O nome da rosa" onde no mosteiro, o riso era considerado pecado...

Bela construção poética!

Beijos de luz...

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Oi, Simão:
Fiz novo post hj, acho que vc não viu o filme. Não saiu lá grandes coisas. Não vá esperando muito.
Apareça por aqui:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo,
Renata

tossan disse...

Estou visitando o seu blog e gostei muito deste poema e dos clics das garças. Gosto muito delas , tanto é que lá no meu blog tem duas fotos assim, mas não tão maduras como estas. 1 abraço