domingo, 12 de outubro de 2008

Crônica de ontem, de hoje e de amanhã!

imagem: uol.com.br
A14 - Folha de S. Paulo - 26 set 2004
“É fundamental para a Democracia que o PT saia enfraquecido”

Così così, da presunção profética do filósofo José Arthur Giannotti: — o poder crescente do PT precisa ser barrado e/ou subdividido para não “contaminar” a democracia. Mais um mandato de Marta na Prefeitura de São Paulo e, a cidade cairia num retrocesso histórico sem precedentes de tenebrosas primaveras sem flores. Entenda-se: o Brasil, de modo geral, não avançou nesse governo petista e, jamais avançaria, enquanto o poder estiver nas mãos de um partido único, no caso, o PT, “monopolizado”. Seria mesmo um partido único o PT, nesse estágio de relações com tantos partidos satélites, ora aprovando medidas ora emperrando decisões ora por interesses oligárquicos blefando as esperanças do cidadão, isso não faz parte do jogo democrático?

Entendamos, então, o filósofo: é fundamental para a Democracia que o PT saia enfraquecido (nas urnas municipais), quebrar esse quadro de poder vermelho pueril do PT, mais do que isso, a cidade de São Paulo­, condição sine qua non teria de ser governada pelo PSDB-PFL, por um governo-modelo fidelíssimo ao do FHC “moderno”, até porque o filósofo é amigo, a mais de 50 anos, de Fernando Henrique Cardoso e, de acordo com seus pensamentos, o rumo certo da metrópole e do Brasil, estariam fadados ao sucesso com a vitória do candidato José Serra a Prefeitura da capital, que faria antes uma pós-graduação com o professor FHC em “estratégica política moderna”, para administrar o grande município com sucesso, a maior cidade do país, em pouco espaço de tempo e, estariam resolvidos todos os problemas comuns ou sui generis. Claro! O tempo suficiente para que Serra saísse mais bem preparado para ser presidente já nas próximas eleições ao Planalto. Fica claro também que o PFL, filho ancestral da oligarquia tupiniquim, teria o seu quinhão garantido e “zipado” do estressado trabalhador brasileiro.

A crueldade imposta pelo discurso do pensador só não é mais daninha, porque é da cultura do brasileiro de formação mediana “achar” que a experiência, principalmente, de palpiteiros profissionais e de políticos pára-quedistas, beatificados pela mídia que apareceram nessa República, venda a alma da mãe, para conseguir o poder e manter seus interesses escusos traga quaisquer melhorias para o bem social comum da nação.

Ainda bem que muita gente “acha” assim. O Sr. Giannotti, 73, é amigo de FHC há 50 anos, se juntarmos com a idade do ex-presidente, lá se vai a metade da juventude republicana do Brasil e ainda, se contarmos com seus correligionários de antigamente honoris dominis, restauraríamos a tempo a SESMARIA, agora, muito mais burocratizada e dependente de alheios gados feudais dos mesmos poucos “coronéis”, então, maiores de 73 anos — vestígios genéticos ainda dos séculos do passado povo.

Diz-se do filósofo ser moderno e atuante, eu nunca li uma linha do senhor J. A. Giannotti nos jornais do dia a dia, mais vezes. Tão relevante deve ser o seu discurso acadêmico e conservador entre seus pares intelectuais, de professor para professor, nunca para gente do povo do Brasil.

73 anos de história social no Brasil e a Democracia que o filósofo defende está obsoleta e inoperante para o século XXI. Uma Democracia ao molde de Atenas draconiana, portanto, não serve para os brasileiros, haja vista a abolição de 1888. Visto que, ainda, grande parcela de miseráveis, analfabetos e semi-analfabetos funcionais em grande número seja superior a de Atenas de Dracon, mas ainda, à mercê de demagogos convictos do chamado neoliberalismo “moderno” cujo filósofo apregoa não participarem da riqueza absoluta dos velhos “senhores tribais do Brasil”.

No artigo do filósofo, não li sequer uma linha pró-cidadania, antes sobre a educação da maioria dos brasileiros, talvez, para os seus princípios e conceitos filosóficos a educação não sirva de base para nada ou, então, seja comprometedora e, que venha ainda ameaçar riquezas tão consolidadas e de poucas gerações privilegiadas deste rincão continental.

O problema maior dos coronéis à brasileira é a ala do PT que busca mudanças interessantes e dá asas ao povo à cidadania e, a outras siglas que tragam propostas e soluções mais populares, ou seja, qualquer outra, por que, então, que seja PSDB de seu grande amigo e de seus reacionários, latifundiários Brutus. Vale, por isso, o voto declarado do pensador brasileiro pró-Serra. — Eta país que não esquece seu vínculo Barroco e, ainda engatinha no pré-modernismo da “republiqueta” de Lima Barreto, BRUZUNGANDESES convictos e seculares!
In verdades - set 2004

10 comentários:

Jonas disse...

Caro amigo, Simão, me desculpe! eu nem tive tempo ainda de ler "da sertanização..." e você já posta essa crônica dando afinetadas na democracia brasileira, feliz ou infelizmente essa é a nossa liberdade que caminha já a algum tempo e aos pouquinhos a passo lento, mas eu sei também você que está convicto da melhoria em muitos aspectos, só para lembrarmos a liberdade de expressão, grande avanço, de imprensa, e aos troncos e barrancos a permuta constante de eleitos políticos que deixaram de, até agora, perdurarem aos cargos públicos mais importante de uma Democracia. Você concorda, viva as eleições, o escrutínio eletrônico, viva sempre as opções da livre escolha. muito boa e oportuna a sua crônica de ontem, de hoje e de amanhã.

abraço, JCD

"UMA PROCURA, É O QUE SOU" disse...

Na vdd, este dito filósofo Gianetti, é amigo de uísque e caminhadas pelas ruas de Higienópolis de um certo FHC, aquele mesmo que fala 3 idiomas e quebrou o Brasil, ajudou bancos falidos como o Bamerindus, tem um filho que sumiu com 500 milhões na tal festa de comemoração dos 500 aos do Brasil, Eduardo Jorge, e outras figuras de proa...Este dito filósofo na vdd, só filosofa em nome destes dinossauros PSDBistas...Estes sim, na sua humilde e intelectualizada opinião, tem o direito de se perpetuar no Poder.

Aldemir disse...

Caro amigo professor, vc não perde a oportunidade de sempre trazer à baila a memória dos grandes brasileiros pouco ouvidos e pouco lidos deste brasil periférico de grande extensão. Pois saiba que "Bruzundanga" extendeu-se de fronteiras, enraizou-se, ganhou status nas grandes capitais, há muito tempo deixou de ser somente "carioca", para se tornar muito mais brasil; usando uma de suas palavras sábias, uma bandalheira "constitucionalizada".
Mas Lima Barreto está por aí, vivinho da silva, você o lembrou muito bem.

um grande abraço, do amigo

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Querido professor, o senhor com sua elegância que faz parte da sua personalidade sabe tocar nas feridas, que teimam em sangrar.
Postei sobre o autor do pequeno príncipe, espero que agrade ao senhor.
beijos.
tenha uma boa noite.

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Oi, Simão!
Tá vendo? É por isso que ME RECUSO a falar em "política partidária atual". Eventualmente, falaria de JK e até de Getúlio que, ou bem ou mal, nos legaram grandes obras, leis, etc. e tal...
Agora, quando abro meu baú, só saem artistas do passado e, atualmente, uma rumbeira esquecida. Nada de "Giannots" e "Suplícios".
Um bom final de semana!!!Bjs

São disse...

A política parece estar perdendo qualidade em todo o sítio, não?
Boa semana.

Valter disse...

Caro Simão, nem imagino aonde fica Bruzundanga, mas é muito imaginativa a sua crônica, é criativa de amargar ou sensibilizar qualquer internauta que leia as suas crônicas com forte conteúdo político, mas acrescento que de modo geral a nossa política vai demorar bastante para ser respeitada com tal, com todo o meu respeito, vale mesmo é criticar com classe, igualzinho como você o faz.

abraço, amigo.

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Frases em que acreditei quando me ligava em política:
1-Brasil, país do futuro.
2-Se cada um fizer a sua parte...
3-Juntos, chegaremos lá!
4-Não pergunte o que seu país pode fazer por você, e sim, o que você pode fazer por ele.
Nasci, cresci, amadureci, lutei para sobreviver numa sociedade desigual, violenta, preconceituosa...onde ficaram essas "promessas", essas esperanças???
Vou encerrar, estou chata!
Abração!!!

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Me empolgo demais e esqueço das coisas: retirei sua copaibeira para colocar uma planta carnívora (estava me sentindo devorar, eu era o insetinho se debatendo em vão); agora, essas araras maravilhosas me trouxeram uma alegria, posso levá-las para lá?Bjssss

bertolini15 disse...

Caro Simão, infelizmente, muitos "brasileiros de formação mediana" não conseguem enxergar ou entender a verdade como você as coloca e são manipulados por explicações simplistas de filósofos comprometidos com determinados partidos. Como se não estivéssemos vivendo em um monopólio psdbista a 16 anos no Estado de São Paulo.