quarta-feira, 26 de março de 2008

De tanto assim culpado - 87

Vale do Anhangabaú - fev 2008 -São Paulo-Br
De tanto assim culpado
De tanto amor julgado
Morre o homem
Alienado

Nasce o sol
Brota a flor

O campo seco
se transforma
Tudo é flor

Canto do céu
Onde não chega a dor

Gira-gira passatempo gigante
Entrete a criança desse espanto

Canta repete o encanto
Voz é tanta

Dor!

In Janelas abertas - 1ª ed. nov 2007

5 comentários:

aldemir disse...

Simão, o contraste da cidade grande à pobreza, à riqueza muito também é dor.
"gira-gira passatempo gigante entrete a criança desse espanto ... voz é tanta dor!"

gde. abraço

Armando - Santo André disse...

Olá, meu amigo simão, passei por aqui para ver alguns dos teus textos, muito legal. Gostei.

um abraço.

comecardenovo disse...

Olá
Obrigada pela visita ao comecardenovo.
O meu nome é Jasmim.
Boa semana

Anônimo disse...

Caro Simão!!!
Como no comentário anterior, demonstras as controvérsias desta megalópole!!!!
Fico contente em saber que consegues perceber isso!!!!
Um abraço.
Danilo.

Sonia disse...

ADOREI!

Obrigada por me colocar a par dessa tua criação.

Grande beijo.

Sônia (o poder).