sexta-feira, 28 de março de 2008

Quartetos e Mosaicos

Foto: uol.com.br - autor desconhecido
Quartetos e mosaicos

Tenho sentido tenho ouvido tenho visto tenho comido
Teus sabores amargos e salobras muito doces de fel
Trina os ventos silvos agudos e espalham as ondas a
Tua indecência pura de postar-te à aparência o caos

Sê de mim o teu desengano pois a sorte não muda o
Teu destino ignóbil às sombras das paredes desigual
Veste-te colorido de ramos verdes floridos vermelhos
Sem iguais não te descansas em tédio nem dormes a

Hora sagrada de viver tu sofres tu te matas à tua dor
Eu que passei por aqui de braços nus vi-te vibrar em
Em ressonância a odores do chão aos olhos ingratos
Do cão carente impiedoso pago em sal gosto de pão

Muita gente vive sem o pão dispensa cara das noites
Janta-se esquece-se do dia dorme enquanto durante
A noite esconde-se da Lua e vive-se sóis à novidade
De ser divulgador de sonhos, mas não quiseste sê-lo

Ler-se são os teus ais assim vive-te de contos que a
Ti contas para os outros dá a certeza dos receptivos
Enganos seja essa a vistosa aparência dos capuzes
Que a ti veste às manhãs das tardes noites sem luar

In Verdades - mar 2008

9 comentários:

comecardenovo disse...

Bom fim de semana; com poesia é sempre mais agradável

"UMA PROCURA, É O QUE SOU" disse...

Muita gente sem o pão, mas não sem poesia. Abraço do amigo.

flor disse...

Caríssimo Simão fico feliz que tenhas apreciado, obrigada pelo comentário.

Bela poesia!
Bom seria se houvesse fartura de pão, de sentidos e sabores adocicados de esperança...sigamos adiante.
Beijos
Flor

maria cristina disse...

Caríssimo Simão,

Vim te visitar e achei a poesia linda, sem contar a paissagem...

Voltarei em breve,

Abraços a todos vocês aí de casa!

Sonia Regly disse...

Simão,
Cheguei até aqui através de Blogs de amigos, vou visitar sempre.Apareça também lá no meu cantinho.Estou começando agora, mas com muito desejo de acertar e compartilhar.www.compartilhandoasletras.blogspot.com

Sonia Regly disse...

Coloquei uma nova postagem sobre os rumos da educação.Apareça!!!!!Sua visita muito me honrará!!

impulsos disse...

Olá Simão
Vim visitar as tuas árvores
Ler os seus ramos novos
Renascidos com os ares
Da tão esperada Primavera
Que por acaso
No Brasil é Outono...

Fico sempre sem saber bem o que dizer, perante a grandeza dos teus versos.
Deixo-me ficar quietinha, não vá eu os estragar...

Beijo

Martha Barbosa disse...

Teus textos e versos me fazem parar e pensar.Gosto disso.Teu blog me surpreende cada vez que venho aqui.Um abraço martha

Shitiro Honda disse...

“Penso; logo existo”

Vendo essas palavras sábias do grande pensador; pensei em você.

Abraços a todos e um bom fim de semana.

Shitiro Honda – 05/04/08